quarta-feira, 26 de Setembro de 2018

 
Passageiros & Mobilidade
11-07-2018
No final de julho 
Metro vai lançar concurso para adquirir novos comboios
O Metropolitano de Lisboa prepara-se para lançar um concurso público internacional para a aquisição de 14 unidades triplas elétricas (sete comboios, constituídos por duas unidades triplas elétricas cada). Em entrevista à Transportes em Revista, Vítor Domingues dos Santos, presidente do Conselho de Administração do Metropolitano de Lisboa, referiu que «o concurso será lançado no final de julho» revelando ainda que a empresa recentemente fez uma consulta preliminar ao mercado «em que apresentámos o nosso programa e onde estiveram presentes 15 fabricantes». Entre os presentes, estiveram representantes de empresas chinesas e sul-coreanas, para além de multinacionais como a Siemens, Bombardier, Alstom, entre outros.
De acordo com o presidente do Metro, «as novas carruagens já terão uma disposição em que os bancos são longitudinais, criando mais espaço nos salões e facilitando, não só, a circulação de pessoas com mobilidade reduzida, como também, de pessoas com bicicletas, malas e carrinhos de bebé. Esta disposição vai passar a ser um standard em todas as composições do Metropolitano de Lisboa». Para o responsável, «queremos garantir que o material corresponde a um conjunto de especificações técnicas e procuramos material muito semelhante ao nosso mas com alguma inovação tecnológica. Qualquer um destes fabricantes tem capacidade para o fazer, mas também queremos garantir que existam os componentes necessários para substituir peças, assistência técnica, formação, e que a manutenção possa ser feita dentro das oficinas do Metropolitano de Lisboa - isso é essencial».
O Metro prevê investir 110 milhões de euros na aquisição do material circulante e prepara-se também para modernizar os seus sistemas de segurança, sinalização e controlo de circulação.
«Essa é uma das alterações mais importantes que iremos fazer. O nosso sistema de sinalização é dos anos 70, de cantão fixo, em que a circulação baseia-se num conjunto de sinais e definições prévias, e vamos alterá-lo para um sistema de "computer based train control", que permite aos comboios circular e operar da forma mais otimizada possível, permitindo, por exemplo, reduzir os intervalos entre comboios», revelou Vítor Domingues dos Santos. O presidente do Metropolitano de Lisboa adiantou que «esta tecnologia já existe no mundo inteiro e permite-nos que os intervalos entre comboios sejam de 3:50 minutos. Numa primeira fase, vamos avançar com concursos para as linhas amarela, verde e azul; numa segunda fase será a linha vermelha».

Não perca a entrevista completa de Vítor Domingues dos Santos, na edição 184 da Transportes em Revista
por: Pedro Pereira
3486 pessoas leram este artigo
144 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
9 pessoas comentaram este artigo
Comentários
20-07-2018 0:48:49 por LUIS RIBEIRO
ESPERO QUE AS DUAS NOVAS ESTACOES DO METRO DA ESTRELA E A OUTRA, TENHAM PASSADEIRAS LISAS PARA MALAS E ADAPTADAS A DEFICIENTES E OUTROS BENEFICIOS.
12-07-2018 19:26:39 por António Matos
As três carruagens que já circulam com bancos longitudinais têm menor capacidade de transportar passageiros em segurança dado que tem menos apoios para quem viaja em pé se segurar e s ficam demasiado altos barra longitudinal para a estatura média, não falando das crianças. É uma MÁ solução
12-07-2018 11:02:46 por Transportes em Revista
Obrigado a todos pela chamada de atenção e correção, que foi um lapso da nossa parte. O correto é 7 comboios, constituídos por duas unidades triplas.
12-07-2018 7:26:03 por caRvas
14 unidades triplas são 7 comboios de 6 carruagens.
11-07-2018 23:10:03 por Antonio
Ja vem tarde ja agora este senhor e que acima o artigo Pedro Pereira será que e o mesmo que trabalha no metro de Lisboa a fazer nao sei bem o que mas e doutor tem canudo ja me esquecia .
11-07-2018 22:50:20 por Fernando Santos e Silva
Será: sete comboios de seis carruagens ou duas unidades communications based traffic control 1.50 minutos
11-07-2018 22:33:04 por UnderLX
As unidades triplas elétricas são constituídas por três carruagens e não por duas. Os sete comboios serão sim constituídos por duas unidades triplas elétricas cada.
11-07-2018 21:37:27 por Revisor
Se são 7 comboios feitos a partir de 14 unidades triplas, então são 6 carruagens por comboioUma nota adicional é que, com a dita tecnologia dos anos 70, em 2008 haviam intervalos entre comboios inferiores a 3m50s na linha verde:http://web.archive.org/web/20080325143707/http://www.metrolisboa.pt:80/Portals/0/tabela_vd.htm
11-07-2018 18:11:27 por José Manuel Godinho
Com tanta perna cruzada e esticada e tanta bagagem mal arrumada, os assentos longitudinais prejudicam mais do que libertam espaço.
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
Spinerg


  





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Canal Transportes Online

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA