domingo, 15 de Dezembro de 2019

 
caetano 468x60
Passageiros & Mobilidade
28-10-2019
Combustíveis alternativos
Alsa adquire Scania Interlink a GNL para carreiras de longo curso
A Alsa tornou-se a primeira operadora a colocar na estrada o autocarro Scania Interlink para carreiras de longo curso, movido a GNL. Com uma autonomia de até 1.200 quilómetros, o novo autocarro deverá operar nos serviços regionais de transporte suburbano, no âmbito do Acordo de Transportes de Madrid, ligando as cidades de Alcalá de Henares e Torrejón de Ardoz, a Madrid.

“Com este veículo damos resposta a uma necessidade muito procurada pelos nossos clientes, que é ter um autocarro movido a energia alternativa para o segmento de longo curso. A Alsa tem sido a nossa companheira de viagem com este veículo”, refere Alberto Linares, diretor comercial de autocarros e motores da Scania Ibérica.

Já Miguel Ángel Alonso, diretor-geral da Alsa, adianta que “há muitos anos que apostámos no gás, porque este nos permitia dar uma solução à quota tecnológica imposta pelo Acordo de Madrid. O veículo a gás dá-nos, indubitavelmente, um TCO Total Cost of Ownership (Custo Total de Aquisição) equiparável ou melhor do que um veículo a gasóleo. O que esta tecnologia nos oferece é uma segurança absoluta do produto”.

A escolha pelo Interlink da Scania deve-se à exigência da operação. “Este tipo de percursos é extremamente exigente em termos da grande densidade de trânsito, da circulação e do elevado volume de passageiros. Isso obriga-nos a ter autocarros que proporcionem um elevado conforto aos passageiros e um baixo nível de emissões. Além disso, tecnicamente, tem de ser suficientemente fiável para que possamos ter uma elevada disponibilidade”, indica José César Plana, diretor de zona da Alsa.

Uma das características do Scania Interlink a GNL é que está ligado à rede e fornece informações instantâneas sobre o funcionamento do veículo. “Estes dados permitem-nos personalizar a manutenção do chassis, encontrando a melhor solução tanto para a prevenção como para a previsão”, explica Fernando Bustamante, diretor de serviço da Scania Ibérica.

O uso do GNL para carreiras de longo curso dá assim mais um passo importante para o alcance da sustentabilidade ambiental no setor dos transportes. “O futuro do GNL é um futuro muito promissor e totalmente necessário, porque é uma das possíveis soluções que teremos para encontrar energias alternativas no segmento do longo curso, que é um dos objetivos da Alsa”, sublinha Miguel Ángel Alonso.
 
por: Pedro Venâncio
812 pessoas leram este artigo
94 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  
BP Toolbox

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 












RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA