quarta-feira, 26 de Junho de 2019

 
STCP
Passageiros & Mobilidade
06-05-2019
João Matos Fernandes
«A descarbonização passa por uma alteração de comportamentos»
Decorreu hoje a primeira conferência do MOBItalks, uma parceria entre a Transportes em Revista e a JPAB – José Pedro Aguiar-Branco Advogados, com o apoio da AEP – Associação Empresarial de Portugal. João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Transição Energética, foi o primeiro convidado deste ciclo de conferência onde o tema “Descarbonização nos Transportes” reuniu cerca de 100 pessoas, no auditório da Associação Empresarial de Portugal, em Leça da Palmeira.



João Matos Fernandes começou por realçar que «Portugal foi o primeiro país do mundo a assumir ser neutro em carbono em 2050», mas para que isso aconteça, «toda a mobilidade terrestre, independentemente de ser de mercadorias ou de passageiros, tem que produzir emissões zero». Assim, garante, «quanto mais depressa começarmos, e já começámos, mais justa será esta transição».

O ministro do Ambiente indicou ainda que «os transportes têm de reduzir as suas emissões em 40% até 2030, um terço da mobilidade terá de ser elétrica e toda a logística urbana tem de ser descarbonizada». Além de ser «uma questão tecnológica», esta será «uma questão de comportamentos», passando por uma «mobilidade coletiva, partilhada e elétrica».



«Para haver descarbonização tem de haver um compromisso muito sério em torno da diminuição da utilização dos combustíveis fósseis», disse Matos Fernandes. Todavia, ressalva, toda a infraestrutura de carregamento [para viaturas elétricas] tem de ser melhorada face à procura. «Com a liberalização que foi aprovada no passado dia 1 de abril, vai-se banalizar, até ao verão, a possibilidade de carregar automóveis elétricos em todo o país».

No seu discurso, o governante sublinhou ainda o facto de Portugal ter sido «o primeiro país no mundo a regular o sharing da forma mais simples possível, seja ele de veículos motorizados, bicicletas ou trotinetas». Para Matos Fernandes, «cada vez mais este conceito integrado, junto com o território de mobilidade, é fundamental para a descarbonização».



Lembrando que as cidades são desenhadas mediante as tecnologias de transporte do tempo, o ministro do Ambiente reforça que «há uma relação muito forte entre a forma urbana e o desenho das cidades e as tecnologias de transporte». Assim, estando a tecnologia progressivamente a evoluir, é fundamental «redesenhar as cidades a pensar em todo o conjunto de mobilidade».

Matos Fernandes acredita ainda que o Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART), é o «melhor exemplo de transição justa em prol da descarbonização da mobilidade», realçando o aumento de mais de 30% de passes vendidos nas duas áreas metropolitanas. Tal como havia confessado na entrevista à Transportes em Revista, o ministro do Ambiente voltou a frisar que o PART, «antes de ser uma medida social, é uma medida ambiental e em prol da descarbonização dos espaços metropolitanos».



Recorde-se que o MOBItalks decorre entre os meses de maio e julho sob o lema Mobilidade, Território e Economia. A próxima conferência está agendada para o dia 21 de maio, às 18h00, tendo como convidado Jaime Vieira dos Santos, presidente da Comunidade Portuária de Leixões. Em cima da mesa, estarão os “Desafios e oportunidades do Porto de Leixões”. Conheça aqui o programa e faça a sua inscrição para as próximas sessões.

Empresas como a ViaMove, a Figueira de Sousa, o Porto de Leixões, a TIS, a ONE, o Grupo Sousa, a Olano, a Soltráfego, a Metro do Porto e a Marmedsa já se juntaram a esta iniciativa.
por: Pedro Venâncio
747 pessoas leram este artigo
117 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 

 





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA