quinta-feira, 25 de Abril de 2019

 
STCP
Carga & Mercadorias
22-02-2019
Transporte profissional
GASNAM lamenta redução de apoios para veículos a gás natural
Em comunicado, a GASNAM, associação ibérica que fomenta o uso do gás natural e renovável na mobilidade terrestre e marítima a nível ibérico, “lamenta profundamente a redução em mais de 80% das ajudas que o Plano MOVES contempla para a mobilidade com gás natural e considera que esta medida representa um importante desincentivo para os profissionais do setor do transporte que apostam na única alternativa real e eco-eficiente para a mobilidade sustentável”.

Segundo a associação, em 2018, os planos MOVEA e MOVALT financiaram um montante de 11 milhões de euros para todo o tipo de veículos movidos a gás natural, dos quais dez milhões de euros foram investidos em camiões, autocarros e furgões. Todavia, para 2019, o Plano MOVES tem previsto um montante entre 900 mil euros e 2,2 milhões de euros para veículos pesados movidos a gás natural – deixando de fora desta comparticipação autocarros e furgões.

“Esta medida pressupõe uma drástica redução das ajudas e um importante prejuízo para o setor do transporte profissional de passageiros e mercadorias, argumenta a GASNAM. Além disso, a associação defende que “a eficácia de um plano de mobilidade sustentável depende dos apoios aos setores capazes de produzir um maior benefício para o meio ambiente. O transporte profissional, devido à sua elevada utilização, representa uma grande percentagem do consumo de combustível e, consequentemente, das emissões produzidas”.

A GASNAM reforça ainda que “o gás natural é um combustível alternativo”, de “origem renovável”, e que “o balanço de CO2 é igual a zero ou mesmo negativo”, sendo por isso “uma solução para descarbonizar a economia”. Os argumentos a favor da utilização de veículos a gás natural são crescentes, mostrando a associação que este combustível permite ainda “manter a competitividade em todos os âmbitos do transporte profissional que requerem grandes autonomias e rápidos reabastecimentos”.

“O transporte profissional de passageiros e mercadorias é a chave para descarbonizar o transporte e melhorar a qualidade do ar nas cidades”. As comparticipações para a aquisição de veículos a gás natural são um imperativo para a continuação na aposta em combustíveis alternativos e mais amigos do ambiente, sem perda de rendimentos, explica a GASNAM.
por: Pedro Venâncio
523 pessoas leram este artigo
123 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA