sábado, 20 de Julho de 2019

 
STCP
Carga & Mercadorias
22-02-2019
Transporte rodoviário de mercadorias
Combustíveis alternativos contribuem para as metas europeias de descarbonização
Publicado no passado mês de maio, o terceiro Pacote de Mobilidade Limpa propõe os primeiros padrões de emissões de CO2 para veículos pesados. A NVGA Europe (Associação de Veículos a Biogás e Gás Natural) congratula-se com o referido pacote, mas defende o apoio ao desenvolvimento de um caminho tecnologicamente neutro em direção ao objetivo final de redução de emissões carbónicas.

Considerando as metas um desafio, a NGVA Europe aprecia o resultado das negociações onde, pela primeira vez na legislação europeia sobre mobilidade, uma metodologia visa a contribuição da redução de emissões de CO2 dos combustíveis renováveis para as metas finais.

Isso representa um fator crucial para o uso do gás renovável (desde o biometano até ao metano sintético) no setor dos transportes. Não sendo expectável que a eletrificação do transporte de mercadorias cresça significativamente a curto prazo, tanto os fabricantes de camiões como os produtores de combustíveis alternativos, devem procurar oferecer ao mercado soluções complementares, acessíveis e viáveis a nível ambiental e económico.

Atualmente, a opção gás natural significa uma redução de emissões até 20,4% em camiões de longa distância, uma prova de que este combustível é uma das melhores soluções disponíveis para enfrentar os desafios ambientais vigentes. Além disso, estima-se que esta tecnologia desempenhe um papel central nas metas de descarbonização até 2030.

Andrea Gerini, secretário-geral da NGVA refere que “o acordo alcançado sobre o desenvolvimento desta metodologia na cláusula de revisão é um passo importante para se começar a avançar para uma abordagem mais abrangente em relação às alterações climáticas, onde tecnologias e combustíveis devem contribuir de forma conjunta”. O responsável considera ainda que o acordo vai ajudar a que se desenvolva uma “procura real de mercado para combustíveis renováveis na Europa. A NGVA Europe e os seus membros estão dispostos a contribuir com os seus conhecimentos e a colaborar com a Comissão Europeia neste importante processo”.

Recorde-se que a GASNAM Portugal tem vindo a discutir e sensibilizar o Governo, assim como a opinião pública, para as vantagens do gás natural e da sua relevância como energia de transição para a introdução dos gás renovável na mobilidade em Portugal.
por: Pedro Venâncio
751 pessoas leram este artigo
239 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 
 
 
 












RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA