terça-feira, 11 de Dezembro de 2018

 
caetano 468x60
Passageiros & Mobilidade
27-11-2018
Trotinetas elétricas
Aí estão as hive!
A hive é a segunda empresa de trotinetas elétricas partilhadas a operar na cidade de Lisboa. Pertencente ao universo mytaxi, a hive é a mais recente concorrente da Lime e promete aumentar a oferta destes veículos por toda a capital portuguesa.

O modelo de negócio é semelhante à Lime, através da app o utilizador pode ver as trotinetas mais perto de si, bastando desbloquear o veículos via QR Code. O preço é também igual: um euro para desbloquear e 0,15 euros por minuto. A hive vai colocar perto de 400 trotinetas na rua no arranque do projeto mas o objetivo é aumentar a oferta à medida que a procura assim o exigir.



A apresentação da hive teve lugar no Saldanha, no centro de Lisboa, e contou com as presenças de Tiago Ibrahim, responsável do projeto em Portugal, Miguel Gaspar, vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa e ainda de Eckart Diepenhorst, CEO da mytaxi.



À Transportes em Revista, Tiago Ibrahim confessou que «as expetativas são muito altas e ambiciosas. As pessoas pensam que Lisboa é uma cidade pequena mas o fluxo de turistas e a quantidade de pessoas que aqui vivem garantem uma procura muito grande por soluções modernas de mobilidade».

O responsável da hive em Portugal garantiu que «o projeto não tem mais do que três meses. As primeiras conversas que tivemos com a câmara aconteceram há cerca de dois meses, dois meses e meio. Foi um esforço muito grande da nossa parte, da mytaxi e da Câmara Municipal de Lisboa fazer isto acontecer».



Tiago Ibrahim disse ainda que «vamos ter, no início do projeto, 400 trotinetas na rua mas o objetivo é expandir. Achamos que existe procura para uma frota muito maior». Nas palavras do responsável, a mytaxi foi igualmente essencial. «As pessoas que estão na mytaxi ajudaram em algumas partes do projeto e claro que estando já em Lisboa, ajudaram-nos a perceber melhor a cidade, sendo um fator decisivo para, entre todas as cidades da Europa, termos escolhido a capital portuguesa».

O projeto das hive esteve no “segredo dos deuses”. Confrontado com o assunto, Tiago Ibrahim sorriu, afirmando apenas que «quisemos ter as todas as peças no lugar antes de avançar com qualquer anúncio da vinda da hive para Lisboa».

A expansão é claramente o objetivo da hive. «Não temos cidades especificas equacionadas mas claro que as grandes capitais europeias são o alvo, pois têm muita procura para projetos como este». Quanto a cidades portuguesas, Tiago Ibrahim é taxativo ao afirmar que «qualquer região entre Cascais e Lisboa, à beira-rio, tem uma procura e uma oferta excelentes para este tipo de projetos. A própria Costa da Caparica é também um local ideal... Portugal tem muito mais espaços para que possamos expandir, além de Lisboa».

E sobre a concorrência? «Eu acho que o futuro passa, sem dúvida, pela cooperação entre projetos e serviços de mobilidade», reiterou o responsável.



Miguel Gaspar, vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa deu as boas-vindas à hive. O vereador referiu que Lisboa é uma «cidade multicultural» e que o sharing, como o conhecemos, vai aparecer de todas as formas. Miguel Gaspar mantem a máxima da abertura da CML para este tipo de projetos e investimento na rede e oferta de transportes ambientalmente mais sustentáveis. Contudo, o responsável alerta para a necessidade de se «trabalhar em conjunto e em segurança» e respeitar o espaço público. «A mobilidade precisa de inovação», reiterou.

Miguel Gaspar disse ainda que «temos hoje um novo meio de transporte na cidade, que é o telemóvel. Com o telemóvel conseguimos ir de A para B, conseguimos chamar um táxi, um Uber, um Cabify, conseguimos apanhar uma GIRA, um DriveNow, um emov, um Hertz, uma Lime, uma hive... todas estas empresas têm de perceber que, neste momento, ainda não estão na fase da competição mas sim na fase da cooperação. Só se as pessoas acreditarem que há uma alternativa ao uso do carro é que vão utilizar todos estes serviços».

Além da hive e da Lime, Miguel Gaspar avançou que existem outras «13 empresas interessadas e em conversações com a câmara para iniciar operação».



Não menos importante foram as palavras de Eckart Diepenhorst, CEO da mytaxi. O responsável referiu que “para nós, Lisboa é o lugar perfeito em toda a Europa para começar o nosso projeto piloto das E-scooters hive”. Além disso, o mesmo acredita que “as nossas trotinetas elétricas podem ser uma mais-valia muito ecológica e sustentável ao mix de mobilidade”.

Sobre esta nova aposta da mytaxi, Eckart Diepenhorst sublinha que “as E-Scooters são um complemento perfeito para o nosso negócio do táxi já existente, uma vez que podem ser utilizadas principalmente para passeios curtos de cerca de um a dois quilómetros. Neste tipo de viagens, as trotinetas conseguem ser tão ou até mais rápidas do que os carros, são muito simples de utilizar, o que as torna muito interessantes para os clientes que procuram um veículo para um passeio curto. Além disso, vão possibilitar à mytaxi chegar a um novo público”.


por: Pedro Venâncio
477 pessoas leram este artigo
57 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA