domingo, 18 de Novembro de 2018

 
STCP
Passageiros & Mobilidade
31-10-2018
Em novembro e dezembro
Governo vai lançar concursos para aquisição de metros e navios
O ministro do Ambiente e da Transição Energética, Matos Fernandes, revelou, durante a sua intervenção no debate na generalidade do Orçamento de Estado (OE) para 2019, que “em novembro será lançado o concurso para a aquisição de 18 novas composições para o Metro do Porto” e que no mês seguinte a Tutela irá avançar com o “concurso de 57 milhões de euros para a aquisição de 10 novos navios para a Transtejo e Soflusa”.
Matos Fernandes, que falava no Parlamento sobre as medidas inscritas no OE para o próximo ano, referiu ainda que o Governo já possui “a declaração de impacto ambiental para a expansão do Metro de Lisboa” e que em relação ao plano de expansão ao Metro do Porto, a Agência Portuguesa do Ambiente está neste momento a apreciar a respetiva declaração. No entanto, o governante disse que “as obras de expansão, num valor que ultrapassa os 500 milhões de euros, serão mesmo lançadas a concurso entre o final deste ano e o início do próximo”.

Redução dos passes em todo o País. Medida entra em vigor depois de abril

Matos Fernandes falou também sobre a medida anunciada recentemente pelo Governo, que prevê a redução do preço dos passes para os transportes públicos. “É absolutamente necessário baixar o preço dos passes”, revelou, salientando que “esta iniciativa começou no passado mês de março pelas duas Áreas Metropolitanas (Lisboa e Porto) e foi trabalhada com o Governo desde então” levando “à construção do apoio para a redução tarifária que neste OE irá já transferir para as Áreas Metropolitanas e Comunidades Intermunicipais cerca de 83 milhões de euros, que serão reforçados com as verbas das próprias autarquias”.
A atribuição deste valor tem como objetivo, refere Matos Fernandes, “em primeiro lugar dar às autoridades de transportes a primazia na gestão da bilhética e fixar preços. Em segundo lugar, ser para o país todo. Em terceiro, garantir que o mínimo de 60% das verbas que são atribuídas servirão para reduzir tarifas. Em quarto, permitir que os 40% remanescentes sejam aplicados no aumento da oferta”.
O ministro revelou também que o cálculo realizado para a atribuição desta verba foi “absolutamente transparente” tendo sido feito através “de um algoritmo muito simples que multiplica a população de cada CIM ou AM pela percentagem de viagens em transporte público, pelo tempo médio de viagem casa/escola ou casa/trabalho. Fica ainda assegurado que todos os apoios sociais: sub23, 4_18, Social + não estão nesta conta e continuam a ser assegurados pelo Governo”. Matos Fernandes adiantou que a redução dos passes só será efetiva “a partir de abril porque antes era impossível que as autarquias e as comunidades intermunicipais negociassem com os operadores de transporte a concretização de um novo sistema de bilhética e tarifário".

Procura nos transportes cresceu 5%


Na sua intervenção, o ministro do Ambiente e da Transição Energética, anunciou que “a procura nos transportes coletivos já cresceu este ano 5% depois de termos recuperado, em 2017, 23 milhões de passageiros de um só ano”. Referindo que “o investimento que já está em curso em Portugal nos transportes coletivos não tem precedentes nas últimas décadas”, Matos Fernandes disse que “é da maior importância que nas empresas tuteladas pelo Governo as indemnizações compensatórias tripliquem já no próximo ano”.
por: Pedro Pereira
988 pessoas leram este artigo
94 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA