sexta-feira, 20 de Setembro de 2019

 
caetano 468x60
Passageiros & Mobilidade
19-09-2018
Entre Azóia e o Cabo Espichel
TST inicia transporte a pedido em Sesimbra
A TST – Transportes Sul do Tejo iniciou uma carreira de transporte a pedido em articulação com a Câmara Municipal de Sesimbra. A primeira carreira de transporte a pedido será a 261, entre Azóia e o Cabo Espichel, tornando-se num prolongamento – a pedido – da carreira 201, que faz a ligação entre Sesimbra e Azóia.

À Transportes em Revista, a TST explicou que «o Concelho de Sesimbra tem algumas áreas de baixa densidade populacional, com caráter pouco regular nas necessidades de deslocação», assim, e «dado que para a TST e para a Câmara Municipal de Sesimbra é fundamental garantir o direito à mobilidade da população, o transporte a pedido foi a forma considerada mais adequada de concretizar este objetivo».

O novo serviço tem o intuito de manter, e em alguns casos reforçar, a oferta de transporte, ao mesmo tempo que assegura a mobilidade de passageiros cujas deslocações não têm um caráter regular. Desde o dia 17 de setembro, segunda-feira, que a TST realiza esta nova modalidade de transporte, implementada em zonas de baixa densidade populacional onde a procura é reduzida.

Nas primeiras duas semanas do serviço, entre 17 e 30 de setembro, o serviço estará em período experimental, pelo que todas as viagens serão realizadas, mesmo que não existam pedidos dos passageiros. «O período experimental tem como objetivo criar condições para uma implementação sustentada deste sistema, uma vez que durante este período os serviços funcionarão nos termos habituais, permitindo à população familiarizar-se com esta nova modalidade de transporte», refere a TST. A partir do dia 1 de outubro serão realizadas apenas as viagens para as quais existam pedidos de transporte.

Relativamente à perspetiva de sucesso deste novo serviço, a empresa disse apenas que «esperamos que esta solução seja utilizada de acordo com os objetivos para que foi criada». Os pedidos de viagem devem ser feitos por telefone (800 500 270), entre as 9h00 e as 12h30, de qualquer dia útil anterior ao da viagem, com a indicação de um dos horários pré-definidos. Quanto à tarifação, esclarece a TST que «a utilização das carreiras em transporte a pedido não têm qualquer alteração ao tarifário atual».

Questionada sobre futuras projetos e parcerias de transporte a pedido noutras regiões e concelhos, a TST avança que «esperamos que este conceito possa, no futuro, ser estendido a outras áreas com condições semelhantes», pelo que «contamos com a colaboração das autoridades envolvidas».

Recorde-se que a Transporte em Revista realiza no próximo dia 4 de outubro, o seminário “Transporte Flexível – Solução de Mobilidade”, na vila do Sardoal. O evento irá reunir um conjunto de personalidades do setor para discutir este tema, assim como serão apresentados diversos exemplos de sistemas de transportes flexíveis, nacionais e internacionais, que já se encontram em operação.
por: Pedro Venâncio
1806 pessoas leram este artigo
579 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
4 pessoas comentaram este artigo
Comentários
24-09-2018 16:23:17 por Katerina
É uma vergonha agora a metade dos autocarros não chegam nem a Azoía, ficam no Zambujal áreas de baixa densidade populacional também necessita de transporte, as crianças precisam de ir a escola e nem todos os pais tem transporte próprio, está tudo feito para baixar ainda mais densidade populacional
20-09-2018 11:19:35 por Marco Dias
apanha o comboio da CP vai ate Abrantes e em abrantes apanha autocarro para o Sardoal ou taxi
20-09-2018 11:15:38 por Catia
Autocarros Rede Expressos
20-09-2018 10:24:19 por alexandre.julio@tecnico.pt
A partir de Lisboa ou Santarém, qual será o transporte para o Sardoal
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 












RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA