terça-feira, 23 de Outubro de 2018

 
caetano 468x60
Passageiros & Mobilidade
03-08-2018
Contra o TVDE
Taxistas manifestam-se dia 11 de setembro
A ANTRAL e a Federação Portuguesa do Táxi (FPT) convocaram uma manifestação, por tempo indeterminado, em Lisboa, para o dia 11 de setembro. Em causa está a regulamentação das plataformas eletrónicas de transporte, cuja lei foi recentemente promulgada pelo Presidente da República. A decisão foi tomada esta quinta-feira durante uma reunião entre o presidente da ANTRAL, Florêncio Almeida, e o presidente FPT, Carlos Ramos.

Após a reunião, Florêncio de Almeida, mostrou a sua desilusão e surpresa perante a promulgação da lei. “Sentimo-nos muito desiludidos e surpreendidos com a atitude do senhor Presidente da República em ter promulgado este decreto-lei e não o ter enviado para o Tribunal Constitucional. Este diploma não veio alterar absolutamente nada as preocupações que o senhor Presidente da República teve ao não promulgar o primeiro projeto-lei”, disse Florêncio de Almeida.

O responsável afiançou que ambas as associações de taxistas exigem que Marcelo Rebelo de Sousa suscite a fiscalização preventiva do diploma. Só assim, prossegue Florêncio de Almeida, caso haja uma resposta positiva do Presidente da República, a manifestação será, “em princípio”, desconvocada. O presidente da ANTRAL afirmou ainda que “as associações têm de dar uma resposta (...) pública, enérgica e com força para que isto possa ainda ter algum retrocesso”.

Carlos Ramos, líder da FPT, explicou que o foco das associações “será a Assembleia da República” e pediu aos partidos com assento parlamentar que “suspendam a lei” e “suscitem a fiscalização sucessiva em termos constitucionais”, caso o Presidente da República “nada fizer sobre esse tema”.

Carlos Ramos avançou que, até à data da manifestação, vão decorrer reuniões distritais em Lisboa, Porto, Faro e Braga para sensibilizar os associados para a mobilização. O objetivo, segundo o responsável, é “mobilizar os industriais de táxis e seus motoristas” e fazer “uma grande concentração de âmbito nacional, por tempo indeterminado”.

Terminada a reunião, os dois presidentes disseram que vão ainda recorrer ao Provedor da Justiça para analisar se o diploma é Constitucional. “Com a nossa luta, com a nossa posição, não só estamos a defender o nosso interesse, mas também estamos a defender os interesses das populações, o interesse da cidade, em termos de ambiente, e estamos também a defender aqueles que têm trabalho precário nas plataformas. A nossa luta é justa e a opinião pública vai perceber que nós temos razão”, rematou Carlos Ramos.
por: Pedro Venâncio
698 pessoas leram este artigo
90 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
1 pessoa comentou este artigo
Comentários
10-08-2018 18:58:59 por tirame do sério
os vendilhões da pátria que nos governam são cada vez mais,temos que acordar e pôr esta gentalha no lugar que merecem prisão
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
Spinerg


  





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Canal Transportes Online

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA