terça-feira, 17 de Julho de 2018

 
Carga & Mercadorias
15-03-2018
Passageiros e mercadorias
AMT realizou consulta aos utilizadores da ferrovia
No ano de 2017, a AMT realizou uma consulta aos utilizadores de serviços ferroviários de passageiros e de mercadorias, estendendo-se ainda aos utilizadores da infraestrutura ferroviária e das instalações de serviço ferroviário.

Após o benchmarking das consultas realizadas pelos reguladores europeus, a AMT avançou com questionários que permitiram conhecer a perceção dos diferentes tipos de utilizadores de serviços ferroviários quanto ao mercado ferroviário português”, refere o regulador em comunicado. Segundo o estudo, no serviço de transporte de passageiros identificou-se maior insatisfação com a informação disponibilizada aos utilizadores, o tratamento de situações de atraso e perturbações no serviço, a acessibilidade e assistência aos utilizadores com deficiência e mobilidade reduzida. Ao nível da infraestrutura ferroviária destaca-se uma insatisfação generalizada com as condições da via ferroviária.

A AMT pôde ainda aferir que “a proporção de associações representantes de utilizadores que classifica os serviços ferroviários urbanos e suburbanos como satisfatórios é igual à proporção que os classifica como insatisfatórios. A maioria das associações respondentes indicou que a qualidade destes serviços se tem mantido estável”.

Relativamente aos serviços de longo curso, regionais e internacionais, verificou-se que 70% das associações respondentes considera satisfatória a qualidade destes serviços, com maior satisfação com o serviço Alfa e menor satisfação com os serviços regionais. A maioria dos respondentes indicou que a qualidade se manteve nos últimos 2 anos.

Em geral, os serviços ferroviários de transporte de passageiros apresentam menores níveis de satisfação nas matérias relacionadas com a informação disponibilizada aos utilizadores, com o tratamento de situações de atraso ou perturbação dos serviços e com a acessibilidade e assistência a utilizadores com deficiência e/ou mobilidade reduzida. Em sentido oposto, as matérias relacionadas com as viagens de comboio (e.g., duração da viagem, disponibilidade da tripulação) obtêm satisfação superior.


Insatisfação com preços praticados no transporte de mercadorias
Relativamente aos utilizadores de serviços ferroviários de transporte de mercadorias, a AMT realizou a consulta junto das empresas que recorrem a estes serviços e junto de associações empresariais. “Identifica-se uma perceção satisfatória quanto à qualidade dos serviços por parte das empresas utilizadoras (76% de avaliações satisfatórias), possuindo as associações empresariais uma perspetiva menos positiva (50% de avaliações satisfatórias)”, avança aquela entidade. A matéria em que existe maior insatisfação no transporte de mercadorias é o preço, tendo 90% das empresas respondentes e 75% das associações empresariais, qualificado este parâmetro como insatisfatório. O fator “Preço” é também considerado como o mais relevante para a qualidade global e atratividade dos serviços. Por outro lado, a satisfação com a duração do transporte e com a proteção das mercadorias transportadas é elevada, registando taxas de satisfação superiores a 75%.

Já na consulta sobre a infraestrutura ferroviária constatou-se que existe uma insatisfação generalizada, quer com a infraestrutura ferroviária (60% de avaliações insatisfatórias), quer com as instalações de serviço (75% de avaliações insatisfatórias).

Neste âmbito, destaca-se a insatisfação manifestada pelas empresas ferroviárias com as condições da via ferroviária e com as estações de passageiros. É também possível constatar que as linhas do Minho, Beira-Alta, Oeste, Cascais, Vendas Novas e Alentejo são as que revelam menor satisfação por parte dos inquiridos. No que concerne a aspetos positivos, os utilizadores da infraestrutura ferroviária e das instalações de serviço ferroviário revelam ter um maior nível de satisfação com as atividades de comando e controlo, gestão da capacidade e interação entre IP e empresas.

Atendendo às conclusões da consulta e à restante informação disponível, a AMT disponibiliza um plano de ações a implementar no setor, visando continuar a responder aos desafios regulatórios existentes, incluindo a questões identificadas na consulta.

Neste contexto destacam-se ações relacionadas com: a divulgação de informação aos utentes, incluindo sobre os seus direitos; a identificação e promoção das melhores práticas relacionadas com as condições de acessibilidade e a assistência a utilizadores com deficiência e mobilidade reduzida; a implementação das orientações legais e jurisprudenciais relativas à necessidade de contratualização de serviços públicos de transporte de passageiros, incluindo no modo ferroviário; e a existência de condições e incentivos adequados a uma gestão eficiente da infraestrutura, incluindo no que concerne à sua melhoria e manutenção e às condições da sua utilização.

Todos os dados referentes a este estudo podem ser encontrados, em detalhe, no relatório divulgado pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes. Veja AQUI .

por: Pedro Costa Pereira
776 pessoas leram este artigo
135 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  





Spinerg


  





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Canal Transportes Online

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA