quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

 
CP_2017
Carga & Mercadorias
19-01-2017

Apto para velocidades até 300 km/h
IP desenvolve novo sistema de catenária
A Infraestruturas de Portugal (IP) desenvolveu um novo sistema de catenária com capacidade para velocidades de circulação até 300Km/h. Este sistema inovador no nosso país foi desenvolvido internamente pelas equipas de engenharia da IP, que foi idealizado e concebido no âmbito do projeto da nova ligação Évora-Caia.

A nova catenária, batizada com o nome “LP300”, irá garantir “grandes benefícios à IP, seja ao nível financeiro, operacional e principalmente do conhecimento”, revela a empresa, garantindo, ainda, uma independência total na relação com os fornecedores. Os vários tipos de catenárias que se encontram atualmente instalados na Rede Ferroviária Nacional são compostos por praticamente mil peças e com este sistema a IP conseguirá reduzir o número de peças que compõem o sistema, proporcionando “grandes benefícios às várias áreas da empresa, principalmente ao nível da Manutenção e Logística”. Alguns dos grandes objetivos estabelecidos para o desenvolvimento da LP300 estão diretamente relacionados com as peças e materiais a aplicar, designadamente: minimização do número de novos componentes a introduzir; procurar utilizar peças e materiais que o mercado já dispõe; possibilidade de alargar a utilização de novas peças/componentes nas catenárias existentes.

De acordo com a IP, “estes objetivos dificilmente seriam atingidos com a introdução de uma catenária do mercado”. Com o desenvolvimento de uma catenária própria a IP fica detentora da tecnologia, da propriedade intelectual e permite aos seus técnicos desenvolverem e reterem know-how em matérias que normalmente não são exploradas.

A empresa já submeteu o novo sistema aos necessários procedimentos de Verificação CE, tendo recentemente superado mais uma fase deste processo de certificação, com a atribuição da “Declaração de Verificação Intermédia”. Segundo a IP, “o sucesso no desenvolvimento desta nova tecnologia deve-se essencialmente ao emprenho e competência dos técnicos que integram a Infraestruturas de Portugal e que diariamente trabalham para a melhoria do desempenho e gestão da Rede Ferroviária Nacional (RFN)”.

Atualmente, a IP dispõe de sistemas de catenária para velocidades de projeto até 220 km/h. Sendo o projeto da nova ligação Évora-Caia sujeito aos requisitos das Especificações Técnicas de Interoperabilidade (ETI) que obrigam a projetar e instalar um sistema de catenária certificado e tendo como pressuposto níveis de desempenho aptos para velocidades iguais ou superiores a 250 km/h, identificou-se a necessidade de desenvolvimento de um novo sistema de catenária.



Processo de Certificação decorre a bom ritmo

No entanto, para se desenvolver um processo de certificação de interoperabilidade a IP teve que recorrer a um organismo independente e devidamente habilitado, para atestar o cumprimento dos requisitos de interoperabilidade. Esse organismo independente é designado por “Organismo Notificado” ou, como mais frequentemente designado utilizando o termo inglês – NoBo (Notified Body). A empresa, neste caso a IP Engenharia, teve de apresentar a prova documental do cumprimento de todos os requisitos de interoperabilidade exigíveis.

“A certificação de uma nova tem essencialmente duas etapas: a certificação conceptual com a realização de ensaios de comportamento dinâmico por simulação com um software informático certificado; a certificação final com a realização de ensaios de comportamento dinâmico com um comboio instrumentado”, refere a IP. Para a primeira etapa foi necessário contratar um NoBo e uma entidade para realizar as simulações de comportamento dinâmico da catenária que dispusesse de um software certificado para essa finalidade, que foram a APNCF e a SNCF, respetivamente.

O processo de certificação iniciou-se em dezembro de 2015 com a preparação e disponibilização de todos os elementos necessários à realização dos ensaios dinâmicos da LP300. Foram realizadas duas séries de simulações tendo-se atingindo os resultados pretendidos e que comprovam o cumprimento dos requisitos de interoperabilidade no que diz respeito ao comportamento dinâmico da catenária. Validadas as características essenciais da catenária LP300, a IP preparou a documentação técnica com as justificações e evidências de cumprimento dos requisitos de interoperabilidade que foi submetido à apreciação do NoBo, que foi merecedora de aprovação.

Concluída a primeira etapa de certificação com sucesso, com a emissão da Declaração de Verificação Intermédia para a fase de conceção, o processo de certificação da nova catenária continuará a ser desenvolvido e passa pela conclusão da definição das regras de projeto e da especificação de todas as peças e montagens a utilizar, com vista à elaboração do projeto para o troço Évora-Caia, já iniciado. A conclusão da certificação da catenária “LP300” será conseguida após a construção de um troço com extensão significativa para realização de ensaios reais à velocidade de serviço.
971 pessoas leram este artigo
264 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
1 pessoa comentou este artigo
Comentários
22-06-2017 23:01:51 por luis ribeiro
já e tempo de se avançar com uma ferrovia europeia mais moderna, basta recorrer aos fabricantes da caf da alstom da hitachi da siemens e outros.
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  



Spinerg


  





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Canal Transportes Online

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA