sexta-feira, 20 de Outubro de 2017

 
CP_2017
Carga & Mercadorias
18-01-2017
Diz Ministra do Mar
Portugal vai abastecer navios com GNL
A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, apresentou publicamente a Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária – Horizonte 2016-2026. O documento estabelece que até 2026 serão investidos 2,5 mil milhões de euros num conjunto de ações que têm como objetivo reforçar e promover a competitividade do setor portuário no panorama nacional e internacional. Ana Paula Vitorino realçou que um dos principais focos será a constituição em Portugal Continental e nas regiões autónomas da Madeira e Açores de uma área de serviço para abastecimento de navios a GNL e de um “hub” reexportador de gás natural. Segundo a ministra, todos os portos terão um papel significativo nesta área e Portugal poderá aproveitar as suas potencialidades geográficas para “atrair a crescente frota mundial com esta propulsão, que possibilita o uso do GNL como fonte energética-base da mobilidade marítima entre o continente e as regiões autónomas, dando um contributo para a descarbonização”.

Em declarações ao Jornal Económico a Ministra do Mar explicou que “o mercado do GNL marítimo, ou seja, aplicado ao abastecimento de navios movidos por esta fonte energética, é um fenómeno emergente, a nível mundial. Ainda não existem cenários quantificados rigorosos sobre que dimensão poderá tomar. Apesar disso, a informação disponível permite descortinar algumas tendências que apontam para uma atividade que poderá ser muito benéfica para a economia nacional em termos de valor material e ambiental”.

Apesar de não se saber concretamente qual será o impacto desta nova fonte energética já diversas entidades internacionais, como a Agência Internacional de Energia, perspetivam que o GNL passe a dominar quase 50% do setor. Para Ana Paula Vitorino não restam dúvidas, “Portugal tem de configurar a sua rede de abastecimento marítimo GNL em linha com estes sinais de mercado, de forma a retirar o máximo valor do seu potencial geoestratégico: ser uma área de serviço de GNL para o Atlântico e um hub competitivo re-exportador de GNL”. Nesta senda, a Ministra do Mar disse ainda ao Jornal Económico que haverá também investimento para que, em Portugal, haja produção de navios especializados para o abastecimento de GNL aos navios, tanto para atividades de suporte às operações de manutenção de energias renováveis e de petróleo offshore, como para investigação oceânica.
por: Miguel Pedras
1555 pessoas leram este artigo
330 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
1 pessoa comentou este artigo
Comentários
18-01-2017 15:06:05 por MCM
Fantástico
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  



Spinerg


  




Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Canal Transportes Online

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA